Câmara
Buscar no site:

Defesa de servidores e críticas na saúde mobilizou debates em Juruaia



Em 15/02/2016 - Defesa de servidores e críticas na saúde mobilizou debates em Juruaia

Reajuste dos servidores e mina interditada. Estes poderiam ser considerados os principais assuntos debatidos na reunião do Legislativo de Juruaia no dia 15 de fevereiro. Porém, a polêmica prefeitura x hospital foi ressuscitada pelo vereador Toniel ao questionar declarações do vice-prefeito e Secretário de Saúde, Rodrigo Luís. O caso foi chamado de novela pelo presidente Juraci e promete próximos capítulos.

DEFESA DOS SERVIDORES - Através de requerimento, os vereadores Jaime Prado (PSC), Agnaldo Marques de Rezende (PSC) e Toniel Alves da Trindade (PMDB) pediram o envio de anteprojeto de Lei ao Executivo solicitando reajuste nos vencimentos dos servidores municipais. Argumentaram que o governo reajustou o salário mínimo no mês de janeiro em 11,57% e os servidores municipais de Juruaia não tiveram nenhum centavo de reajuste. Considerando o índice inflacionário acumulado no período e o valor atual do salário mínimo vigente, entendem que se faz necessário o reajuste, o que adequaria os vencimentos dos servidores à perda inflacionária do último ano.

Agnaldo Marques (PSC) manifestou que os servidores municipais não ganham bem, sendo que em Juruaia existe uma grande demanda de trabalho com melhores salários nas empresas. Assim, defendeu o reajuste concedido pelo governo de forma automática. Até porque, na sua opinião, em breve o serviço público não será atrativo.

Toniel (PMDB) lembrou que o anteprojeto é “sugestivo” ao Executivo apontando a defasagem, concordando com o colega de que o reajuste deveria ser automático. Para ele, falta bom senso por parte do Executivo para cumprir a legislação. Também questionou a falta de interesse dos servidores na criação de um sindicato para atuar na defesa da classe.

Jaime Prado (PSC) também comentou a respeito, lamentando a falta de reajuste e a perda de compra do salário mínimo. Para ele, a inflação é maior que o dado oficial informado. Portanto, reconhece que o reajuste de 11,57% também não é suficiente, sendo apenas o mínimo para proporcionar dignidade aos funcionários. Revelou que o pagamento de horas extras vem complementando os salários dos servidores públicos municipais.

Esmael Alves da Trindade (PSDB) argumentou que os funcionários merecem mais que 11%, não concordando com a forma de pagamento em Juruaia, através de horas extras para complementar os salários. Entende que o salário deveria ter valor definido, possibilitando o reajuste no final de cada ano. Mas manifestou sua confiança de que o prefeito vai conceder o reajuste possível.

Ademar Mazurega (PSDB) argumentou ter tomado conhecimento que a carga horária dos professores é menor em comparação com outros municípios da região e no estado de São Paulo.

DÍVIDA DO HOSPITAL - O vereador Toniel Alves da Trindade (PMDB) voltou a lembrar a aprovação de projeto em setembro de 2015 autorizando o Executivo a proceder a abertura de crédito especial no valor de R$ 480 mil, recurso que seria destinado ao hospital. Na época, a alegação ocorreu no sentido de o recurso seria aplicado no pagamento de dívida do hospital. Porém, tem conhecimento de que até o momento a dívida não foi quitada, indicando que o recurso não chegou ao hospital com o objetivo alegado.

Toniel pediu esclarecimentos, sendo que o vereador Edson afirmou que não tinha conhecimento a respeito. Antônio Carlos Gonçalves Marques também alegou desconhecimento, mas avisou que estaria buscando as informações para os esclarecimentos solicitados. Esmael também avisou que estará apresentando números na próxima reunião da Câmara.

O vereador Edson Joaquim Donizete da Silva (PSD) lembrou que a Câmara apenas autorizou o prefeito a suplementar o crédito no orçamento, mas não existe uma forma de obrigar o Executivo a aplicar o recurso. O mesmo ocorre com relação ao valor aprovado do orçamento. Edson manifestou alegria pelo fato do hospital estar caminhando de forma bastante positiva.

VAGAS NA CRECHE - O vereador Jaime Prado (PSC) indagou sobre o andamento do projeto de Lei aprovado que determina informações sobre vagas na creche. A assessoria do Legislativo alegou desconhecimento, mas se prontificou a buscar as informações solicitadas.

MINA INTERDITADA - O vereador Antônio Carlos Gonçalves Marques (PSDB) lamentou a interdição de mina de água no bairro Mirante. Fato que, segundo ele, surpreendeu toda comunidade, visto que a água está contaminada.

Segundo informações obtidas pela reportagem, a interdição momentânea da conhecida “Mina do Mirante” foi necessária diante do resultado da última análise realizada. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, a água fornecida naquela mina está imprópria para consumo dada a presença da bactéria “Escherichia Coli”. Mas a interrupção não é definitiva. Uma nova análise será realizada e caso esteja satisfatória, o fluxo será liberado. Várias podem ser as causas da contaminação, desde de um simples encanamento danificado, até a contaminação pela chuva excessiva.

O vereador Edson Joaquim Donizete da Silva (PSD) também comentou a respeito, destacando que análise foi feita pela Regional de Alfenas. Novas análises serão feitas para identificar o problema.

APOIO AO PRODUTOR - O vereador Ademar Mazurega (PSDB) argumentou que a colheita do café irá “adiantar” um pouco neste ano. Assim, apresentou indicação verbal pedindo melhorias nos “carreadores”, facilitando assim o trabalho dos produtores rurais.

CRÍTICAS A RODRIGO - Usando a tribuna, o vereador Toniel Alves da Trindade (PMDB) questionou declarações do vice-prefeito e Secretário Municipal de Saúde, Rodrigo Luís Dias da Silva, durante entrevista a este jornal, sendo que a matéria foi publicada em 24 de dezembro de 2015. Na ocasião, o secretário relata os “avanços de Juruaia na saúde”. Toniel fez a leitura de um trecho da matéria, questionando em seguida as declarações, principalmente com relação ao impasse vivido entre a prefeitura e o pronto socorro do hospital. Em determinado momento, argumentou que o “retrocesso” foi causado pelo próprio Secretário e não pela diretoria do hospital. “Considero esta reportagem um absurdo. É uma afronta aos princípios morais, éticos e políticos”, criticou. Finalizou dizendo que “se falsidade é um sentimento, mas se fosse uma pessoa, seria o Rodrigo”.

O presidente Juraci Porfírio de Souza (PV) argumentou que o hospital já se tornou uma “novela” no município. Como o Secretário de Saúde foi citado, estaria fazendo um convite para que Rodrigo compareça à Câmara para prestar os esclarecimentos necessários. Para o presidente, é preciso “passar uma borracha no passado”, destacando o bom trabalho desenvolvimento entre o município, hospital e pronto socorro.

DESPEDIDA DA EMATER - O engenheiro agrônomo Mauro Marques Morais, extensionista da Emater/MG, fez uso da tribuna do Legislativo em tom de despedida e agradecimentos. Mauro relatou sua aposentadoria, depois de 40 anos de serviços prestados à Emater, sendo que 26 anos no escritório em Juruaia. Ele agradeceu a todos os vereadores, agradecendo pelo apoio no desenvolvimento do trabalho à frente do escritório. Relatou ainda que permanecerá residindo em Juruaia, se colocando à disposição dos vereadores.

O profissional mereceu inúmeros e extensos elogios por parte de todos os vereadores, destacando a importância do seu trabalho para o desenvolvimento do município na área agrícola, beneficiando assim toda comunidade de Juruaia.

Vale destacar ainda que Mauro respondeu requerimento da Câmara, prestando informações sobre a produção de café no município. Segundo ele, levantamentos apontam que em 2015 a lavoura cafeeira atingiu 4.720 hectares, com uma produção estimada em 85 mil sacas beneficiadas de 60 kg. Para a safra 2015/2016, a estimativa é de 140 mil sacas no município.

Fonte: A Folha Regional


Galerias


Defesa de servidores e críticas na saúde mobilizou debates em Juruaia